segunda-feira, 14 de julho de 2008

[PB22] História de um pensamento geográfico: Georges Bertrand

Geografia (Rio Claro/SP)
[volume 32, número 2, p. 363-390, Maio/Ago. 2007]
ARTIGO PELO QUAL FAZEMOS UMA SINOPSE DA TRANSFORMAÇÃO DO PENSAMENTO DO GEÓGRAFO FRANCÊS GEORGES BERTRAND. POR TER SIDO O ARTÍFICE DE UMA VERSÃO OCIDENTAL PARA A TEORIA DOS "GEOSSISTEMAS", O ARTIGO LHE É CONSAGRADO ESPECIALMENTE NO ASPECTO DA MUDANÇA CONCEITUAL QUE PARECE SE VERIFICAR NO SEU DISCURSO - MUDANÇA QUE TENDE A REVELAR VISÃO APRIMORADA DO PRÓPRIO TERMO "GEOSSISTEMA". ESTE ARTIGO CONSTITUI A SEGUNDA PARTE DA "TRILOGIA" DEDICADA A SUMARIAR A PRODUÇÃO INTELECTUAL DE BERTRAND - PRODUTO INSPIRADO POR NOSSA TEMPORADA DE ESTÁGIO JUNTO AO LABORATÓRIO "GEODE".
["O início da década dos oitenta é também uma etapa de transformação no pensamento de Bertrand. O que, durante os setenta, era 'unidade de paisagem' (atestanto, por conseguinte, o caráter genérico desta), agora ganhava um outro sentido. A paisagem seria uma 'leitura sócio-cultural' do geossistema, embora não menos uma estrutura objetiva e concreta como ele próprio representaria; então, a idéia que antes estava implícita - de conjunto/subconjunto - se desfaz, dado que o geossistema (em vias de ser reservado ao fato natural) não seria mais, digamos assim, um tipo específico de paisagem. Trata-se de uma pequena inflexão, mas que terá (veremos ainda) efeito apreciável anos à frente. Ademais, a virada do termo no sentido da cultura, abria em Bertrand a chance de firmar passarelas entre estudos paisagísticos de várias ordens ('estetismo', 'ecologismo'). Entendamos precisamente, o francês estava separando um conceito 'científico' (o geossistema) de outro, 'sócio-cultural' (a paisagem). A epistemologia estava, deste modo, alterada em seu discurso." (p. 378)]
LINK: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/ageteo/article/viewArticle/1461

terça-feira, 8 de julho de 2008

[PB21] As atividades do laboratório GEODE (Universidade de Toulouse II, França)

Geografia (Rio Claro/SP)
[volume 32, número 1, p. 252-255, Jan./Abr. 2007]
NOTA PELA QUAL NARRAMOS BREVEMENTE A CRIAÇÃO DO LABORATÓRIO TOULOUSEANO "GÉOGRAPHIE DE L'ENVIRONNEMENT", VINCULADO AO "CENTRE NATIONAL DE RECHERCHE SCIENTIFIQUE" (UMR 5602). O COMENTÁRIO DE SEUS ANTECEDENTES - MUITO TRIBUTÁRIOS DA INICIATIVA DE GEORGES BERTRAND - SÃO SEGUIDOS DE UMA REFERÊNCIA ÀS PRINCIPAIS LINHAS DE PESQUISA ATUALMENTE DESENVOLVIDAS ALI. ADEMAIS, ESTA NOTA CONSTITUI A PRIMEIRA PARTE DA "TRILOGIA" DEDICADA A SUMARIAR A PRODUÇÃO INTELECTUAL DE BERTRAND - PRODUTO INSPIRADO POR NOSSA TEMPORADA DE ESTÁGIO NESSA INSTITUIÇÃO FRANCESA.["O grupo que hoje permanece sob a denominação de 'Geografia do Ambiente' foi criado no ano de 1969 por Bertrand e um pequeno contingente de professores; entre eles, mandarins como Bernard Kaiser. A verdade é que o contexto acadêmico francês, acometido pelos efeitos da 'revolução' eclodida na primavera do ano anterior, vira começar a se falar em 'interdisciplinaridade'. Logo, o emblemático 1968 faria fortalecer certas práticas que até então só ocorriam com raridade. Os Séminaires seriam realizados com periodicidade cada vez maior; e é justamente confiando no papel construtivo deles que Bertrand (divulgando suas pesquisas por esta modalidade congregante já desde 1966, autorizado pelo Diretor do Instituto de Geografia à época, o clarividente François Taillefer) propôs a fundação do grupo científico - firmado, pois, sobre esta idéia de que o adjetivo não se concretiza senão por uma teia de saberes." (p. 252)]
SOLICITE UMA CÓPIA! (dantereis@unb.br)