segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

[PB66] A longevidade da geografia teorética e quantitativa: trilogia descritiva de um caso europeu (parte dois)

Geografia (Rio Claro/SP)
[volume 39, número 3, p. 415-447, Set./Dez. 2014]
ARTIGO EM QUE APRESENTAMOS A HISTÓRIA DE UM CENTRO PIONEIRO, DIFUSOR DOS IDEÁRIOS DA "NOVA GEOGRAFIA" (SOBRETUDO AQUELES A VER COM O SISTEMISMO E A MODELAGEM MATEMÁTICA) - CENTRO PARA ONDE, CURIOSAMENTE, AINDA HOJE CONFLUEM OS PRATICANTES DE UMA GEOGRAFIA TEORÉTICA E QUANTITATIVA. TRATA-SE DE ENCONTROS MANTIDOS ININTERRUPTOS DESDE OS ANOS 1970. ESTA SEGUNDA PARTE DA HISTORIOGRAFIA CARACTERIZA A NATUREZA TEMÁTICA DAS COMUNICAÇÕES DOS PARTICIPANTES; SENDO RESSALTADA TAMBÉM A PRODUÇÃO INTELECTUAL DE QUATRO PERSONAGENS LOCAIS.
[extrato: "Se para o aspecto teorético teríamos o ‘aménagement’, e para o quantitativo, a ‘statistique’, se fôssemos propor um substativo-emblema para o viés técnico assumido pela Geografia dos anos 1970, sugeriríamos: informatique. Porque ela, que será referida já nas primeiras edições dos Colloques, estará presente, continuamente, noutros momentos." (416)]
Link: http://repositorio.unb.br/handle/10482/21843