terça-feira, 18 de junho de 2013

[PB62] Potenciais da arte cinematográfica: um estudo preliminar do conteúdo geográfico nas obras fílmicas de Buñuel e Bergman

II Simpósio Nacional e I Internacional de Geografia, Literatura e Arte
[10-13 Jun. 2013, Depto. Geografia/USP, São Paulo, Anais - primeiros autores: Lucas G. Gebrim; Daniel F. R. Oliveira]
DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS PARCIAIS DE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA CONSAGRADO ÀS RELAÇÕES (AINDA POUCO ESCLARECIDAS) ENTRE AS LINGUAGENS GEOGRÁFICA E CINEMATOGRÁFICA. A PARTIR DE DUAS AMOSTRAGENS-TESTE (CERCA DE TRINTA OBRAS FÍLMICAS DE INGMAR BERGMAN E LUIS BUÑUEL) INSINUAMOS QUE HAVERIA PONTOS TANGENCIAIS ENTRE ALGUNS DOS ENREDOS E CERTOS ELEMENTOS TEÓRICOS ATINENTES SOBRETUDO AO IDEÁRIO HUMANÍSTICO (P. EX., A IDEIA DE "INTIMATE PLACE").
["..." (p.)]
SOLICITE UMA CÓPIA! (dantereis@unb.br)

terça-feira, 23 de abril de 2013

[PB61] Do pensamento à linguagem: metodologia para análise de discursos geográficos (estudo de caso Aziz Ab'Sáber)


XIV Encuentro de Geógrafos de América Latina
[08-12 Abr. 2013, PUCPerú, Lima, Anais, 20f. - primeiro autor: Fabiola P. Z. Canata, UnB]
Título original do resumo submetido: "Do pensamento à linguagem: proposta metodológica para a análise de discursos geográficos, nas entrelinhas de um estudo de caso (Aziz Ab’Sáber)"
COMUNICAÇÃO EM QUE DESCREVEMOS OS EXPEDIENTES METODOLÓGICOS CONCEBIDOS PARA EXECUTAR UMA ANÁLISE INTERPRETATIVA DE DISCURSO GEOGRÁFICO. MENCIONAMOS AS SEIS QUESTÕES FUNDAMENTAIS ATINENTES: "TIPO IDENTITÁRIO" (UM DADO SISTEMA DE PENSAMENTO - POR EXEMPLO, O EMPIRICISMO); "CLÁUSULAS" (AS CARACTERÍSTICAS VINCULÁVEIS AO SISTEMA EM QUESTÃO); "ATRIBUTO" (REBATIMENTO DA CLÁUSULA NA PRÁTICA CIENTÍFICA - POR EXEMPLO, AS EXPEDIÇÕES A CAMPO); "DISCURSO" (UM TRECHO DE TEXTUALIZAÇÃO CONFIRMANDO ESSE REBATIMENTO NA OBRA DE UM PERSONAGEM); "HIPÓTESE DE CORRESPONDÊNCIA" (A SUGESTÃO DA SEQUÊNCIA CAUSAL "TIPO:CLÁUSULA>ATRIBUTO>DISCURSO"); E "ESTILO DE ARGUMENTO" (TIPOLOGIA PASSÍVEL DE ASSOCIAÇÃO: DIGAMOS, E. "CLÁSSICO" OU "CRÍTICO-PRAGMÁTICO"). A ILUSTRAÇÃO DO MÉTODO É FEITA A PARTIR DO EXAME DE TEXTOS DE AUTORIA DE AZIZ N. AB'SÁBER (1924-2012) - OBRA QUE CONSTITUIU O OBJETO DE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, COM ALUNOS DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. NO CASO DESTE EMINENTE PERSONAGEM, PÔDE-SE SUSTENTAR A VERIFICAÇÃO DE DISCURSOS AO ESTILO CLASSICISTA E AMBIENTALISTA (RESPECTIVAMENTE CONFIRMADOS PELOS ATRIBUTOS DE UMA GEOGRAFIA LITERÁRIO-DESCRITIVISTA E DE UMA GEOGRAFIA MESCLANDO PRAGMATISMO E CRITICISMO).
[extrato: "... cabe aqui frisar as adjetivações enunciadas acima: deve ser explícita e frequente a inclinação. Bem, isso significa que o intérprete precisará sustentar sua 'hipótese de correspondência' (tipo identitário -> cláusula -> atributo -> discurso) a partir, irrevogavelmente, de uma amostra substantiva de trechos ilustrativos; sendo que esta 'substância' tem de querer dizer, ao mesmo tempo, uma correspondência realmente perceptível (isto é, detectável, sem esforço, nas próprias palavras do autor) e uma correspondência suficientemente replicada – ou seja, verificável em mais de um registro e durante alguns seguidos anos ..." (p. 3, grifo do autor)]
SOLICITE UMA CÓPIA! (dantereis@unb.br)

sábado, 16 de março de 2013

[PB60] Desacato aos papas: uma historiografia da geografia teorética francesa (parte dois)

Geografia (Rio Claro/SP)
[volume 38, número 1, p. 5-36, Jan./Abr. 2013]
ARTIGO EM QUE APONTAMOS O CASO DE UM EPICENTRO DIFUSOR DO IDEÁRIO TEORÉTICO-QUANTITATIVISTA EM TERRITÓRIO FRANCÊS. ESTA HISTORIOGRAFIA (COMPOSTA EM DUAS PARTES) DESTACA AS CIRCUNSTÂNCIAS CONJUNTURAIS - PROPÍCIAS, ENTÃO, AO SURGIMENTO DE UMA AGREMIAÇÃO DE PERSONAGENS DEDICADOS ÀQUELA CAUSA ("GRUPO DUPONT") -, BEM COMO REVELA OS "PRODUTOS" ADVINDOS DO ESFORÇO DE ATORES LOCAIS: UMA REVISTA, QUE SERÁ SEU VEÍCULO DE REFLEXÕES E ESTUDOS DE APLICAÇÃO, E UM CONGRESSO BIANUAL - POR SINAL, ATÉ HOJE EXISTENTE. E O "ESFORÇO" DE QUE FALAMOS TEM A VER COM DOIS IMPORTANTES FATOS: FOI UM EMPREENDIMENTO "SUBVERSIVO" (DE TÃO IMPROVÁVEL) NUM CONTEXTO ESPACIAL QUE HAVIA SIDO, DESDE UM SÉCULO ATRÁS, SIMPLESMENTE O BERÇO DAQUILO CONTRA O QUÊ ESSES PERSONAGENS SE POSICIONARIAM; E É UMA DEMONSTRAÇÃO DA LONGEVIDADE DO TÍPICO DISCURSO TEORÉTICO (EM PROL, POIS, DE PESQUISAS ORIENTADAS POR TEORIZAÇÃO ROBUSTA E CRITÉRIOS AUSTEROS DE VERIFICAÇÃO) - JÁ QUE O GRUPO SE MANTÉM ATIVO DOS ANOS 1970 ATÉ HOJE.
[extrato: "... essa convergência (apesar de tudo) existente entre os integrantes do GD traduz-se em quatro ideários gerais: 1º) exigência de que se proceda de modo rigoroso (portanto científico) no estudo da organização do espaço; 2º) consenso sobre o estatuto social da ciência geográfica (o que de maneira nenhuma extirpa a investigação do quadro físico – tornada, nas últimas décadas, até um clamor); 3º) certeza de que se abandonou o paradigma clássico da causalidade para, uma vez absorvendo o pensamento sistemista e adotando a prática da modelagem, reconhecer um novo império, o da complexidade (mesmas causas não produzirão sempre mesmos efeitos!); e 4º) compromisso intransigente com a reflexão epistemológica, posto que, praticando-a, fatalmente retira-se a Geografia de um nocivo isolamento. Estas são as quatro vigas-mestras do GD" (p. 30)]
LINK 1: http://repositorio.unb.br/handle/10482/21817
LINK 2: http://www.groupe-dupont.org/Seminaire/2013_ReisDJ/Geografia[v.38,n.1,2013].pdf

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

[PB59] Desacato aos papas: uma historiografia da geografia teorética francesa (parte um)

Geografia (Rio Claro/SP)
[volume 37, número 3, p. 343-365, Set./Dez. 2012]
ARTIGO EM QUE APONTAMOS O CASO DE UM EPICENTRO DIFUSOR DO IDEÁRIO TEORÉTICO-QUANTITATIVISTA EM TERRITÓRIO FRANCÊS. ESTA HISTORIOGRAFIA (COMPOSTA EM DUAS PARTES) DESTACA AS CIRCUNSTÂNCIAS CONJUNTURAIS - PROPÍCIAS, ENTÃO, AO SURGIMENTO DE UMA AGREMIAÇÃO DE PERSONAGENS DEDICADOS ÀQUELA CAUSA ("GRUPO DUPONT") -, BEM COMO REVELA OS "PRODUTOS" ADVINDOS DO ESFORÇO DE ATORES LOCAIS: UMA REVISTA, QUE SERÁ SEU VEÍCULO DE REFLEXÕES E ESTUDOS DE APLICAÇÃO, E UM CONGRESSO BIANUAL - POR SINAL, ATÉ HOJE EXISTENTE. E O "ESFORÇO" DE QUE FALAMOS TEM A VER COM DOIS IMPORTANTES FATOS: FOI UM EMPREENDIMENTO "SUBVERSIVO" (DE TÃO IMPROVÁVEL) NUM CONTEXTO ESPACIAL QUE HAVIA SIDO, DESDE UM SÉCULO ATRÁS, SIMPLESMENTE O BERÇO DAQUILO CONTRA O QUÊ ESSES PERSONAGENS SE POSICIONARIAM; E É UMA DEMONSTRAÇÃO DA LONGEVIDADE DO TÍPICO DISCURSO TEORÉTICO (EM PROL, POIS, DE PESQUISAS ORIENTADAS POR TEORIZAÇÃO ROBUSTA E CRITÉRIOS AUSTEROS DE VERIFICAÇÃO) - JÁ QUE O GRUPO SE MANTÉM ATIVO DOS ANOS 1970 ATÉ HOJE.
[extrato: "... o nome de batismo, Dupont, deveu-se a um motivo bem mais figurativo: uma antiga opereta intitulada 'Na Ponte de Avignon' (Sur le Pont d'Avignon), consagrada no final do século dezenove, embora remontando ao dezesseis. Os mestres moços reconheciam-se, assim, como os 'meninos da ponte': Enfants Dupont. Ponte em que, por muito e muito tempo, dançou-se em círculos ao som da mesma fastidiosa melodia. Esses meninos eram, por conseguinte, filhos (de talvez netos) do paradigma vidaliano, experimentando na carne sua exaustão." (p. 347-348)]
LINK 1: http://repositorio.unb.br/handle/10482/21818
LINK 2: http://www.groupe-dupont.org/Seminaire/2013_ReisDJ/Geografia[v.37,n.3,2012].pdf