sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

[PB59] Desacato aos papas: uma historiografia da geografia teorética francesa (parte um)

Geografia (Rio Claro/SP)
[volume 37, número 3, p. 343-365, Set./Dez. 2012]
ARTIGO EM QUE APONTAMOS O CASO DE UM EPICENTRO DIFUSOR DO IDEÁRIO TEORÉTICO-QUANTITATIVISTA EM TERRITÓRIO FRANCÊS. ESTA HISTORIOGRAFIA (COMPOSTA EM DUAS PARTES) DESTACA AS CIRCUNSTÂNCIAS CONJUNTURAIS - PROPÍCIAS, ENTÃO, AO SURGIMENTO DE UMA AGREMIAÇÃO DE PERSONAGENS DEDICADOS ÀQUELA CAUSA ("GRUPO DUPONT") -, BEM COMO REVELA OS "PRODUTOS" ADVINDOS DO ESFORÇO DE ATORES LOCAIS: UMA REVISTA, QUE SERÁ SEU VEÍCULO DE REFLEXÕES E ESTUDOS DE APLICAÇÃO, E UM CONGRESSO BIANUAL - POR SINAL, ATÉ HOJE EXISTENTE. E O "ESFORÇO" DE QUE FALAMOS TEM A VER COM DOIS IMPORTANTES FATOS: FOI UM EMPREENDIMENTO "SUBVERSIVO" (DE TÃO IMPROVÁVEL) NUM CONTEXTO ESPACIAL QUE HAVIA SIDO, DESDE UM SÉCULO ATRÁS, SIMPLESMENTE O BERÇO DAQUILO CONTRA O QUÊ ESSES PERSONAGENS SE POSICIONARIAM; E É UMA DEMONSTRAÇÃO DA LONGEVIDADE DO TÍPICO DISCURSO TEORÉTICO (EM PROL, POIS, DE PESQUISAS ORIENTADAS POR TEORIZAÇÃO ROBUSTA E CRITÉRIOS AUSTEROS DE VERIFICAÇÃO) - JÁ QUE O GRUPO SE MANTÉM ATIVO DOS ANOS 1970 ATÉ HOJE.
[extrato: "... o nome de batismo, Dupont, deveu-se a um motivo bem mais figurativo: uma antiga opereta intitulada 'Na Ponte de Avignon' (Sur le Pont d'Avignon), consagrada no final do século dezenove, embora remontando ao dezesseis. Os mestres moços reconheciam-se, assim, como os 'meninos da ponte': Enfants Dupont. Ponte em que, por muito e muito tempo, dançou-se em círculos ao som da mesma fastidiosa melodia. Esses meninos eram, por conseguinte, filhos (de talvez netos) do paradigma vidaliano, experimentando na carne sua exaustão." (p. 347-348)]
LINK 1: http://repositorio.unb.br/handle/10482/21818
LINK 2: http://www.groupe-dupont.org/Seminaire/2013_ReisDJ/Geografia[v.37,n.3,2012].pdf